Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Bishop no Xingu

Publicado: Segunda, 08 de Agosto de 2022, 17h24 | Última atualização em Sexta, 09 de Setembro de 2022, 14h44 | Acessos: 67

 

Em 1958, Aldous Huxley, escritor que ganhou notoriedade com o livro Admirável Mundo Novo, veio ao Brasil, a convite do presidente Juscelino Kubistscheck, para uma temporada de dez dias conhecendo desde o barroco das cidades mineiras de Congonhas do Campo, Sabará e Ouro Preto ao modernismo de Brasília ainda em construção. A visita foi acompanhada por jornalistas, em especial o editor-chefe do jornal Correio da Manhã, Antonio Callado, que publicou várias matérias sobre a presença do escritor britânico no país.

A fotografia, publicada no jornal Correio da Manhã em 24 de agosto de 1958, registra a visita da poeta norte-americana Elizabeth Bishop, que acompanhou o casal Aldous e Laura Huxley, à região do rio Xingu. Bishop descreve a viagem ao Posto Capitão Vasconcelos, à beira do rio Tuatuari, no texto intitulado “Uma Nova Capital, Aldous Huxley e Alguns Índios”.

“Os iaualapitis são de baixa estatura, porém bem proporcionados, os homens quase gorduchos, com músculos lisos, ombros largos e peitos lisos e largos. Andam inteiramente nus, usando apenas colares de conchas e cinturões de contas e conchas; as mulheres usam um "cache-sexe" simbólico feito com uma folha de palmeira dobrada, formando um pequeno retângulo com cerca de quatro centímetros de comprimento, sustentado por um fio fino, feito com a mesma  palmeira. Esta peça de vestuário quase invisível [uluri] é importante; por vezes elas param e viram-se de costas para ajustar o fio. O cabelo é muito abundante e surpreendentemente fino e lustroso; as mulheres usam-no comprido, com uma franja; os homens adotam um corte em forma de cuia.”

Em outra passagem, Bishop escreve sobre o encontro de Claudio Villas Boas que, juntamente com seus irmãos Leonardo e Orlando, foi responsável pela concepção do Parque Indígena do Xingu, criado em abril de 1961. Claudio exclamou: "Mas é o Huxley? 'Contraponto'?". Mencionou haver lido todos os seus livros e do seu avô, o biólogo Thomas Henry Huxley.

A matéria do Correio da Manhã, de 21 de agosto de 1958, finaliza a passagem do casal Huxley e de Elizabeth Bishop pelo Xingu relatando: “Quando voltamos ao avião, lançamos um olhar para trás, para os que ficavam, como Claudio e o jovem estudante, de Cambridge, que lá se achava, para o fio verde e fundo do Tuatuari, onde tomáramos banho, para um ipé roxo que ardia na curva da estrada.”

Notação da imagem: BR_RJANRIO_PH_0_FOT_11887_001, fundo Correio da Manhã

Elizabeth Bishop. Prosa. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2014.

Antonio Callado. Quarup. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.

Adelino de Lucena Mendes da Rocha. Guerreiros do Norte: memórias de um tempo histórico para uma etnografia Yawalapiti. Dissertação. Puc-SP, 2014. Disponível em https://tede2.pucsp.br/bitstream/handle/3585/1/Adelino%20de%20Lucena%20Mendes%20da%20Rocha.pdf

 

 

Comments powered by CComment

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página